terça-feira, 3 de março de 2015

Biologia: evolução e especiação

Demonstração da especiação.

Evolução

Basicamente, existem duas opiniões contraditórias à respeito da evolução: aqueles que acreditam e aqueles que não acreditam que os seres vivos evoluíram. Segundo a corrente de pensamento fixista, baseada principalmente na Igreja, e existente até os dias atuais mesmo com o desenvolvimento da tecnologia, as espécies seriam imutáveis. Já os transformistas acreditavam na modificação das espécies através do tempo, o que pode ser comprovado através de estudos científicos.
Surgiram então teorias que tinham a finalidade de explicar como ou de que forma os seres evoluíam. 


  • Lamarck

A teoria de lamarck ficou conhecida como lamarckismo. Baseada principalmente na "Lei do uso e desuso", acreditava que modificações feitas em vida iriam refletir na próxima geração. Exemplo: se uma gata tivesse sua pata amputada em vida, seu filhote também nasceria dessa forma; se uma mulher pintasse seu cabelo de azul, a criança também nasceria com cabelo azul. Além disso, dizia que, à medida que um órgão deixasse de ser utilizado, um dia algum descendente nasceria sem o mesmo. Isso explicava também como algum órgão se desenvolvia.

  • Darwin
Sua teoria, conhecida como darwinismo, era baseada na "Lei da seleção natural", na qual os mais aptos sobreviviam. Isso significa que, entre um animal x e um animal y (da mesma espécie mas com características um pouco diferentes) aquele que melhor está adaptado ao meio sobrevive. Se for o animal y, por exemplo, vai chegar um momento em que o animal x vai desaparecer, explicando a variabilidade. 


É comum que Darwin seja associado à imagens como a que está apresentada acima. É necessário dizer, entretanto, que Darwin jamais disse que os seres humanos descendem dos macacos. Ele disse, apenas, que possuímos ancestrais em comum. 

  • Neodarwinismo
Conhecida como teoria sintética, o neodarwinismo complementa a teoria de Darwin que, na época, dotado de poucos recursos, não foi capaz de explicar como a variabilidade acontecia. Passaram, então, a explicar o darwinismo através da genética.

Especiação

É o processo em que novas espécies são formadas a partir de uma espécie em comum. Para que uma nova espécie seja formada, é necessário(a):

  1. Isolamento geográfico
    Quando grupos de uma mesma espécie se separam devido à migração e ao surgimento de barreiras naturais (rios, montanhas, etc), de forma que esse distanciamento impossibilita a reprodução.

  2. Isolamento reprodutivo
    Resultado do processo de especiação, ou seja, quando os grupos se reencontram após o isolamento e não podem mais se reproduzir¹, de modo que é então formada uma nova espécie. Em outros casos, pode ser que os indivíduos adquiram características distintas, mas isso não impede que eles se reproduzam. Nessa situação se originam as raças. 
¹Basicamente, os principais fatores que impedem a reprodução são o isolamento reprodutivo pré-zigótico (como a diferença de tamanho de órgãos genitais ou amadurecimento sexual em épocas distintas) e o isolamento reprodutivo pós-zigótico (quando o híbrido é estéril ou morre nos primeiros anos de vida).


Outras classificações

Os seres vivos podem, ainda, ser comparados em relação a um determinado grupo. Para isso, existem duas diferentes formas de comparação:

  •  Irradiação adaptativa
Também conhecida como homologia, são as novas espécies que apresentam um ancestral comum, identificados a partir da genética ou de características semelhantes.
  • Convergência adaptativa
Chamada também de analogia, é quando ocorre a comparação de espécies distintas, embora habitem no mesmo ambiente, como é o caso do tubarão (peixe) e do golfinho (mamífero). Acredita-se que a atuação de um mesmo meio contribuiu para selecionar a forma corporal ideal para a adaptação na água.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...