domingo, 12 de junho de 2011

História [A2]: A revolução francesa e Napoleão

Em parte, vocês poderão conferir um resumo anterior clicando aqui, apesar de qualquer forma estarmos fazendo citações sobre os tais fatos presentes na postagem linkada. Até onde sabemos, ainda ocorrerá uma prova de história até o final do semestre - o que significa então este mês. Lembramos também que ela será mais uma avaliação virtual.


O que foi o golpe 18 de brumário?
Para falarmos de Napoleão Bonaparte e a sua importância para os giordinos, precisamos antes acrescentar que tornou-se um general aos tenros 24 anos; e acabou vencendo algumas guerras. Apesar de ser jacobino, os girondinos solicitaram a sua ajuda. Eles já se encontravam no poder (e realizado o 18 de brumário* - confiram a imagem lateral.), mas simplismente "não sabiam por onde começar", pois não eram, digamos assim, bons governantes, o que significava então que poderiam perder o poder a qualquer momento. Napoleão, apesar disso, acabou tomando o poder no geral, não deixando espaço para os giorondinos (mas devemos acrescentar que as regras criadas por ele posteriormente muito os favoreciam).
Depois de ter-se feito rei, ele tornou-se o primeiro imperador da França. No exato momento em que o papa iria coroá-lo, ele simplismente pegou a coroa, e ele mesmo fez-se imperador, o que demonstra então todo o seu poder.
No geral, é possível dizer que o Napoleão Bonaparte fez um ótimo governo [as partes abaixo poderão contribuir com o debate da próxima semana]; ele acabou com o absolutismo, trazendo ao governo uma imagem liberal, apesar de não estar satisfazendo a população por completo - lembrem-se que ele defendia os girondinos, ou seja, a alta burguesia, e não os camponeses/escravos (jacobinos) - mas trouxe em si um governo bem diferente do que a população se habituava a ter, antes da revolução. Um dos exemplos seria que, finalmente, ele trouxe um equilíbrio financeiro. Para favorecer os girondinos, aceitou o fato das "propriedades privadas", entre outros aspectos.
Napoleão Bonaparte
Porém, um dos seus grandes objetivos era que a França fosse um país industrializado, e que se torna-se a principal escolha quando se tratava em adquirir produtos. Porém, existia também a Inglaterra (especificadamente a Grã- Bretanha), que era também um grande concorrente. Pensando nisso, ele criou o Bloqueio Cotinental, no momento em que dominava a maioria dos países europeus, e proibia que os tais países comprassem produtos da Inglaterra. O que parecia uma grande estratégia, o tirou do poder.
Afinal,  a Inglaterra era realmente melhor em relação aos produtos, e haviam alguns que poderiam ser adquiridos apenas pela própria Inglaterra, o que significou uma grande insatisfação do povo. A Rússia foi a primeira a romper totalmente o Bloqueio, e o que parecia mais uma guerra de sucesso para Napoleão, foi uma de suas grandes derrotas, que o "fez" sair de exílio da França.
O irmão de Luís XVII foi quem assumiu o poder, mas apenas por 1 ano. Napoleão voltou forte e confiante, depois de ter fugido do exílio em Elba. Houveram mais batalhas, e Napoleão foi novamente derrotado, desta vez em uma batalha na Bélgica, que significou o fim do Império Napoleônico. Porém, a expansão das ideias iluministas continuou.
Enfim, Napoleão acabou sendo exilado em Santa Helena, onde ele faleceu mais tarde - as causas da morte são apenas suposições; uma delas, e mais considerável, seria por causa do veneno arsênio encontrado nos seus pertences, comidas, etc; na realidade, havia um remédio daquela época que continha arsênio como ingrediente, para câncer no estômago, que ele, em tais condições, provavelmente ingerira.

2 comentários:

Anônimo disse...

parabens pelo blog isa, me ajudou muito, principalmente com historia, esta otimo!!!

Isabela Rosa Prochmann | @belaprochmann disse...

Obrigada (seja lá quem for), sempre faço o possível :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...